QUEM SOMOS NÓS

Minha foto
RIO DE JANEIRO, RIO DE JANEIRO, Brazil
VOCE É DAQUELA QUE SE PUDESSE MORAVA NO SHOPPING? TROCA QUALQUER NAMORADO POR UMA LIQUIDAÇÃO? COMPRA, mesmo que não caiba em voce, só para aproveitar o preçinho? Promete todo mês, quando chega a fatura do cartão de credito, que mês que vem, não vai comprar nada? Se voce respondeu sim, pelo menos pra duas das perguntas acima, junte-se a nós!!! *** Voce faz parte desse Blog....

5 de nov de 2009

Coco Chanel



“Queria me sentir mais leve, então criei uma moda assim, leve”, disse certa vez a estilista francesa Gabrielle “Coco” Chanel, que nasceu na virada do século retrasado, viveu anos-luz à frente de seu tempo e faleceu em 1971, aos 88 anos. “As mulheres da minha época não pareciam humanas. Suas roupas iam contra sua natureza. Devolvi-lhes liberdade, dei-lhes pernas e braços de verdade”, afirmava. Com esse conceito, Chanel foi responsável pela criação daquele tubinho preto que está pendurado no seu, no meu, no nosso e no vosso armário.Fêmea de forte personalidade, Chanel criou não só sua grife, mas um estilo.
Alta, magra e atlética, Chanel era a modelo de si mesma. “Ela criou peças que podem ser usados por qualquer mulher, de qualquer época, em qualquer lugar”, disse Andrew Bolton, um dos curadores de “Chanel”, exposição de 60 peças que ele preparou para o Metropolitan Museum of Art, de Nova York, em 2005. “Ela se inspirou em modelos da classe proletária, da roupa masculina, do uniforme militar”, conta o curador.





Mulher fru-fru?
O filme Coco antes de Chanel, em que ela é interpretada pela francesa Audrey Tautou, deixa a desejar, mas mostra como a menina Gabrielle era, de fato, diferente das “mulheres fru-frus”. Certa vez, Chanel contou ao pintor espanhol Salvador Dalí que “tudo o que ela fez na vida foi transformar a roupa de homens em roupas de mulheres”. O exemplo é a peça ícone de sua marca: o tailleur de duas ou três peças. Apesar de ter desenhado o modelo por volta de 1915, somente em 1954, 15 anos depois de ter se aposentado, que Chanel – na época, com 71 anos – recriou a roupa incorporando os botões dourados, contornos na lapela e punhos do paletó. Além disso, ela viveu a era das melindrosas, elaborando modelos de cintura reta e saia curta, sem falar nos vestidos de gala, um deles usado por ela mesma em 1936: longo e rente ao corpo, todo bordado em metal e paetês coloridos, acompanhado de um cinto dourado. Pragmática, ela dizia que “moda não é arte. É uma profissão”. Ela ainda desenhou bolsas pretas com alças douradas, sapatos, joias e os imensos colares de pérolas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PARA REFLETIR:

" Cada um de nós é quem ensina ao outro como deve nos tratar!"

"Uma pessoa inteligente resolve um problema, um sábio o previne." (Albert Einstein)

"Quando me perguntam quantos anos de vida tenho, digo os anos que me faltam viver. Os que já vivi, não os tenho mais..." (Galileu Galilei);

"Não importa o que o passado fez de mim. Importa é o que farei com o que o passado fez de mim" - (Woody Allen);

"Somente os muito sábios e os extremamente estúpidos é que não mudam" (Confúcio, filósofo chinês);

"A vida é como uma vela: para iluminar é preciso queimar";

"Um dia sem um sorriso é um dia desperdiçado" (Charles Chaplin).